quinta-feira, 19 de abril de 2018

POSTAGENS DO BLOGGER DIMENSÃO DA ESCRITA

Foto de capa do blogger

Antiga foto de capa do blogger

Dom Gilvan Francisco dos Santos, O.S.B
(Monge Beneditino)
Arquiabadia de São Sebastião da Bahia
Salvador, Bahia – 19 de abril de 2018

POSTAGENS DO ANO DE - 2018 (3)


ABRIL (1)

Março (2)



_______________________________________________________
POSTAGENS DO ANO DE 2017 (21)

- No dia 22 de outubro de 2017, foram postados todos os temas do blogger Postagens do blogger dimensaodaescrita.





MAIO (3)















_______________________________________________________

POSTAGENS DO ANO DE - 2016 (26)
















MAIO (9)











Ut In Omnibus Glorificetur Dei


sábado, 7 de abril de 2018

SEGUNDO DOMINGO DA PÁSCOA, DIA DEDICADO A MISERICÓRDIA DIVINA









Dom Gilvan Francisco dos Santos, O.S.B
(Monge Beneditino)
Salvador, Bahia – 08 de abril de 2018

“A humanidade não encontrará a paz enquanto não se voltar, com confiança, para a Minha misericórdia” (Diário, nº 300).

INTRODUÇÃO  

Neste dia, de modo especial, está aberto o Sacratíssimo Coração de Jesus para atender a todos aqueles que invocarem com confiança o seu Santíssimo nome e implorar a sua infinita Misericórdia. Foi o próprio Jesus que disse a sua serva Santa Faustina Kowalska (1905-1938):

Desejo que festa da Misericórdia seja refúgio e abrigo para todas as almas, especialmente para os pecadores. Neste dia, estão abertas as entranhas da minha Misericórdia. Derramo todo um mar de graças sobre as almas que se aproximam da fonte da Minha misericórdia. A alma que se confessar e comungar alcançará o perdão das culpas e das penas. Neste dia, estão abertas todas as comportas divinas, pelas quais fluem as graças. Que nenhuma alma tenha medo de se aproximar de Mim, ainda que seus pecado sejam como o escarlate. A Minha misericórdia é tão grande que, por toda a eternidade, nenhuma mente, nem humana, nem angélica a aprofundará. Tudo o que existe saiu das entranhas da Minha misericórdia. Toda a alma contemplará em relação a Mim, por toda a eternidade, todo o meu amor e a Minha misericórdia. A Festa da Misericórdia saiu das Minhas entranhas. Desejo que seja celebrada solenemente no primeiro domingo depois da Páscoa. A humanidade não terá paz enquanto não se voltar à fonte da Minha misericórdia (Diário, nº 699).

Após esse mandato do Senhor poderia calar-me porque tudo já foi dito dessa importante festa. Bastaria apenas este parágrafo para mostrar-lhes a grandeza dessa festa do Coração misericordioso de Jesus. No entanto, desejo falar-lhes um pouco mais sobre esta Sagrada Festa.

Boa leitura!


A DEVOÇÃO A JESUS MISERICORDIOSO

Na hora em que mais necessita a humanidade de um socorro, o bom Deus nos envia a sua ajuda do céu. Desde o início do mundo, Ele sempre está atento às nossas necessidades, mesmo diante de nossa indignidade. Porque, Ele é, pura Misericórdia!

A primeira aparição de Jesus misericordioso realizou-se no ano de 1931. Três anos depois foi pintada a sagrada imagem de Jesus misericordioso pelo pintor Eugênio Kazimierowski. A imagem trazendo a inscrição “Jesus, eu confio em Vós. Incrição pedida pelo próprio Cristo a Santa Faustina.

Para todos aqueles que tiverem devoção a sua insondável Misericódia, Jesus faz a Santa Faustina um grande número de promessas. Em uma destas ocasiões, assim Ele fala a Santa:

Escreve que quanto maior a miséria da alma, tanto mais direito tem à Minha misericórdia, e estimula todas as almas à confiança no inconcebível abismo da Minha misericórdia, porque desejo salvá-las todas. A fonte da Minha misericódia foi na cruz aberta com a lança para todas as almas, não exclui a ninguém (D. n. 1182).

Em outro lugar diz:

As almas que divulgam o culto da Minha misericórdia, Eu as defendo por toda a vida como uma terna mãe defende seu filhinho e, na hora da morte não serei juíz para elas, mas sim o Salvador Misericordioso (D. n. 1075).

Em relação a sua Sagrada Imagem, Ele assim pede a Santa Faustina:

Pinta uma Imagem de acordo com o modelo que estás vendo, com a inscrição: Jesus, eu confio em Vós. Desejo que esta Imagem seja venerada, primeiramente, na vossa capela e, depois, no mundo inteiro. Prometo que a alma que venerar esta Imagem não perecerá. Prometo também, já aqui na terra, a vitória sobre os inimigos e, especialmente, na hora da morte. Eu mesmo a defenderei como Minha própria glória (D. n. 47-48).

E, prosegue:

“Ofereço aos homens um vaso, com o qual devem vir buscar graças na fonte da misericórdia. O vaso é a Imagem com a inscrição: Jesus, eu confio em Vós” (D. n. 327).

Atendendo ao pedido do seu diretor espiritual, Faustina pergunta a Jesus qual é o significado da Imagem e Jesus lhe explica:

Os dois raios representam o sangue e a água: o raio pálido significa a Água que justifica as almas; o raio vermelho significa o Sangue que é a vida das almas. Ambos os raios jorraram das entranhas da Minha misericórdia, quando na cruz, o meu Coração agonizante foi aberto pela lança. Estes rios defendem as almas da ira de meu Pai. Feliz aquele que viver à sua sombra, porque não será atingido pelo braço da justiça de Deus. (D. n. 299).

E prossegue: “O meu olhar nessa Imagem, é o mesmo que eu tinha na cruz” (D. n. 326). E continua em sua bondade a nos conceder graças por meio dela. “Por meio desta Imagem concederei muitas graças às almas. Ela deve lembrar as exigências da Minha misericordia, porque mesmo a fé mais forte de nada serve sem as obras” (D. n. 742). Diante da queixa de Santa Faustina em relação a pintura, que não ficou do seu gosto, pois, dizia ela, a Jesus: “Quem te pintará como sois?” Jesus lhe responde: “O valor da Imagem não está na beleza da tinta nem na habilidade do pintor, mas na Minha graça” (D. n. 313). Óh! Quanta bondade do Senhor para conosco!

Também foi ensinado um terço a Santa Faustina, por Jesus, para que possamos pedir misericórdia para nós e para o mundo inteiro (D. n. 475). Esse terço foi ensinado em 03 de setembro de 1935. Jesus assim fala a Santa:

Pela recitação deste Terço agrada-Me dar tudo o que Me peçam. Quando os pecadores empedernidos o recitarem, encherei de paz as suas almas, e a hora da morte deles será feliz. Escreve isto para as almas atribuladas: […]. Escreve que, quando recitarem esse Terço junto aos agonizantes, Eu Me colocarei entre o Pai e a alma agonizante não como justo Juiz, mas como Salvador misericordioso (D. n. 1541, 1731, 475, 687, 811).

Em outra parte Jesus assim promete a todos nós:

Defendo toda alma que recitar esse terço na hora da morte, como se fosse a Minha própria glória, ou quando outros o recitarem junto a um agonizante, eles conseguem a mesma indulgência. Quando recitam esse terço junto a um agonizante, aplaca-se a ira de Deus, a misericórdia insondável envolve a alma (D. n. 811).

No Diário de Santa Faustina Kowalska, Jesus pede insistentemente por várias vezes que seja instituída a Festa da sua insondável Misericórdia, dando até o dia a ser celebrada esta Festa quando diz: “Desejo que seja celebrada solenemente no primeiro domingo depois da Páscoa (Diário, nº 699). E, assim, foi instituído o Domingo da Divina Misericórdia. A confirmação definitiva do Culto da Misericórdia Divina foi dada no dia 17 de agosto do ano de 2002, com a consagração do Santuário da Divina Misericórdia em Cracóvia, Polônia, pelo Sumo Pontífice, São João Paulo II. Na celebração da dedicação do Santuário, dizia o santo Papa a multidão de fiéis devotos da Misericórdia:

“Caríssimos irmãos e irmãs: Repito essas palavras simples e sinceras de Santa Faustina, para adorar juntamente com ela e com todos vós o mistério inconcebível e insondável da Misericórdia de Deus. Com ela, queremos que não existe para o homem outra fonte de esperança fora da Misericórdia de Deus. Desejamos repetir com fé: Jesus eu confio em Vós!” (L’Osservatore Romano, n. 34 – 24 de agosto de 2002, p. 3.7).

Jesus se revelou a Santa Faustina em relação a esta Festa 15 vezes. Daí podemos perceber a grandeza de tal comemoração. Certa vez ele lhe diz: “O Meu Coração se alegra com essa Festa” (Diário, nº 998). Pois esta celebração está ligada ao mistério da Redenção. Santa Faustina assim escreve em seu Diário: “Agora vejo que a obra da Redenção está ligada com a obra da misericórdia que o Senhor está exigindo” (Diário, nº 89).

Para esta, Festa Jesus pede que seja celebrada uma (cfr.) Novena e que seja iniciada na Sexta-feira Santa para que assim seja concluída na vigília do domingo após a Santa Páscoa. Com isso, esta Festa também traz um cunho de devoção particular.

Esta Novena é um pouco diferente das que conhecemos. Não é uma série de orações nas quais estão explícitas as nossas necessiddes particulares. Nela, não rezamos exclusivamente por nós mesmos, mas segue uma ordem de pedidos que foram dados pelo próprio Jesus Cristo. Esta Novena traz na sua inspiração a maneira de rezar da Igreja. Uma maneira universal de rezar. Esta Novena foi pedida pelo Senhor que fosse recitada em preparação à Festa de sua misericórdia, “para a conversão do mundo inteiro de modo que toda a alma conheça a Misericórdia do Senhor e glorifique a sua infinita bondade”.

Santa Faustina assim escreve em seu diário: “Novena à Divina Misericórdia que Jesus me mandou escrever e rezar antes da Festa da Misericórdia. Começa na sexta-feira santa. (D. 1209).

Cada dia da Novena é iniciada com uma intenção particular dada pelo próprio Cristo diante da queixa feita por Santa Faustina que lhe diz que não sabia como iniciar uma novena. Com isso, Jesus a instrui na compilação da sagrada Novena:

Desejo que, durante estes nove dias, conduzas as almas à fonte da Minha misericórdia, a fim de que recebam força, alívio e todas as graças de que necessitam nas dificuldades da vida e, especialmente na hora da morte. Cada dia conduzirás ao Meu Coração um grupo diferente de almas e as mergulharás nesse oceano da Minha misericórdia. Eu conduzirei todas essas almas à Casa de Meu Pai. Procederás assim nesta vida e na futura. Por Minha parte, nada negarei àquelas almas que tu conduzirás à fonte da Minha misericórdia. Cada dia pedirás a Meu Pai, pela Minha amarga Paixão, graças para essas almas.

Eu respondi: Jesus, não sei como fazer essa novena e que almas conduzir em primeiro lugar ao Vosso Misericordiosíssimo Coração. E respondeu-me Jesus que me dirá, dia por dia, que almas devo conduzir ao Seu Coração (D. n. 1209).

Esta Novena aparentemente é bastante simples para quem não dar uma devida atenção às palavras nela, contidas. Porém, para quem conhece um pouco de Teologia, percebe de imediato, que esta traz um cunho teológico de grande peso e profundidade teológica.

Vejamos como foi estruturada essa Novena. Cada dia se inicia com a intenção dada por Jesus misericórdioso. Em seguida Santa Faustina faz uma oração dirigida a Jesus misericordioso, depois uma pequena reflexão sobre a Misericódia do Senhor e, por fim, outra oração dirigida ao Pai eterno, contendo nessa a necessidade dada pelo Cristo ao iniciá-la. Observemos abaixo a estrutura do primeiro dia. Os oito dias seguintes trazem a mesma estrutura.


ESTRUTURA DA NOVENA



PRIMEIRO DIA

(Palavras de Jesus)
Hoje, traze-Me a humanidade inteira, especialmente todos os pecadores e mergulha-os no oceano da Minha misericórdia. Com isso Me consolarás na amarga tristeza em que Me afunda a perda das almas.

(Orações de Santa Faustina)
Misericordiosíssimo Jesus, de quem é próprio ter compaixão de nós e nos perdoar, não olheis os nossos pecados, mas a confiança que depositamos em Vossa infinita bondade. Acolhei-nos na mansão do vosso compassivo Coração e nunca nos deixeis sair dele. Nós vo-lo pedimos pelo amor que Vos une ao Pai e ao Espírito Santo.

Ó poder da misericórdia Divina,
Socorro para o homem pecador,
Vós sois o oceano de misericórdia e de amor,
E ajudais a quem Vos pede humildemente.

Eterno Pai, olhai com misericórdia para toda humanidade, encerrada no Coração compassivo de Jesus, mas especialmente para os pobres pecadores. Pela Sua dolorosa Paixão, mostrai-nos a Vossa misericórdia, para que glorifiquemos a onipotência da Vossa misericórdia, por toda a eternidade. Amém.

SEGUNDO DIA

(Palavras de Jesus)
Hoje, traze-Me as almas dos sacerdotes e religiosos e mergulha-as na Minha insondável misericórdia. Elas Me deram força para suportar a amarga Paixão. Por elas, como por canais, corre para a humanidade a Minha misericórdia.

- Oração de Santa Faustina a Jesus misericordioso;

- Reflexão de Santa Faustina sobre a Misericórdia do Senhor;

- Oração de Santa Faustina dirigida ao Pai eterno.

TERCEIRO DIA

(Palavras de Jesus)
Hoje, traze-Me todas as almas piedosas e fiéis e mergulha-as no oceano da Minha misericórdia. Estas almas consolaram-Me na Via-sacra; foram aquela gota de consolações em meio ao mar de amarguras.

- Oração de Santa Faustina a Jesus misericordioso;

- Reflexão de Santa Faustina sobre a Misericórdia do Senhor;

- Oração de Santa Faustina dirigida ao Pai eterno.

QUARTO DIA

(Palavras de Jesus)
Hoje, traze-Me os pagãos e aqueles que ainda não Me conhecem e nos quais pensei na minha amarga Paixão. O seu futuro zelo consolou o meu Coração. Mergulha-os no mar da Minha misericórdia.

- Oração de Santa Faustina a Jesus misericordioso;

- Reflexão de Santa Faustina sobre a Misericórdia do Senhor;

- Oração de Santa Faustina dirigida ao Pai eterno.

QUINTO DIA

(Palavras de Jesus)
Hoje, traze-Me as almas dos Cristãos separados da Unidade da Igreja e mergulha-as no mar da Minha misericórdia. Na minha amarga Paixão dilaceravam o Meu corpo e o Meu Coração, isto é, a Minha Igreja. Quando voltam à unidade da Igreja, cicatrizam-se as minhas Chagas e dessa maneira eles aliviam a Minha paixão.

- Oração de Santa Faustina a Jesus misericordioso;

- Reflexão de Santa Faustina sobre a Misericórdia do Senhor;

- Oração de Santa Faustina dirigida ao Pai eterno.

SEXTO DIA

(Palavras de Jesus)
Hoje, traze-Me as almas mansas, assim como as almas das criancinhas, e mergulha-as na Minha misericórdia. Estas almas são as mais semelhantes ao meu Coração. Elas reconfortaram-Me na minha amarga Paixão da minha agonia. Eu as vi quais anjos terrestres que futuramente iriam velar junto aos meus altares. Sobre elas derramo torrentes de graças. Só a alma humilde é capaz de aceitar a minha graça; às almas humildes favoreço com a minha confiança.

- Oração de Santa Faustina a Jesus misericordioso;

- Reflexão de Santa Faustina sobre a Misericórdia do Senhor;

- Oração de Santa Faustina dirigida ao Pai eterno.

SÉTIMO DIA

(Palavras de Jesus)
Hoje, traze-Me as almas que veneram e glorificam de maneira especial a Minha misericórdia e mergulha-as na Minha misericórdia. Estas almas foram as que mais sofreram por causa da minha Paixão e penetraram mais profundamente no meu espírito. Elas são a imagem viva do meu Coração compassivo. Estas almas brilharão com especial fulgor na vida futura. Nenhuma delas irá ao fogo do Inferno; defenderei cada uma delas de maneira especial na hora da morte.

- Oração de Santa Faustina a Jesus misericordioso;

- Reflexão de Santa Faustina sobre a Misericórdia do Senhor;

- Oração de Santa Faustina dirigida ao Pai eterno.

OITAVO DIA

(Palavras de Jesus)
Hoje, traze-Me as almas que se encontram na prisão do Purgatório e mergulha-as no abismo da Minha misericórdia; que as torrentes do meu Sangue refresquem o seu ardor. Todas estas almas são muito amadas por Mim, pagam as dívidas à Minha justiça. Está em teu alcance trazer-lhes alívio. Retira do tesouro da Minha Igreja todas as indulgências e oferece-as por elas. Oh, se conhecesses o seu tormento, incessantemente oferecerias por elas a esmolas do espírito e pagarias as suas dívidas à Minha justiça.

- Oração de Santa Faustina a Jesus misericordioso;

- Reflexão de Santa Faustina sobre a Misericórdia do Senhor;

- Oração de Santa Faustina dirigida ao Pai eterno.

NONO DIA

(Palavras de Jesus)
Hoje, traze-Me as almas tíbias e mergulha-as no abismo da Minha misericórdia. Estas almas ferem mais dolorosamente o meu Coração. Foi da alma tíbia que a minha Alma sentiu repugnância no Horto. Elas levaram-Me a dizer: Pai afasta de Mim este cálice, se assim for a vossa vontade. Para elas, a última tábua de salvação é recorrer a Minha misericórdia.

- Oração de Santa Faustina a Jesus misericordioso;

- Reflexão de Santa Faustina sobre a Misericórdia do Senhor;

- Oração de Santa Faustina dirigida ao Pai eterno. 





Terço da Misericórdia Divina


Terço que foi ensinado por Jesus a Santa Faustina Kowalska para ser rezado nas contas do Rosário. 


“No começo dirás as seguintes orações:

Pai-nosso…

Ave, Maria…

Creio em Deus Pai…

Nas contas de Pai Nosso, dirás as seguintes palavras:
Eterno Pai, eu Vos ofereço o Corpo e o Sangue, a Alma e a Divindade de Vosso diletíssimo Filho, Nosso Senhor Jesus Cristo, em expiação dos nossos pecados e dos do mundo inteiro.

Nas contas da Ave-Maria rezarás as seguintes palavras:
Pela Sua dolorosa Paixão, tende misericórdia de nós e do mundo inteiro.

No fim, rezarás três vezes estas palavras:
Deus Santo, Deus Forte, Deus Imortal, tende piedade de nós e do mundo inteiro” (Diário, 476). 





REFERÊNCIAS

KOWALSKA, Faustina Santa. Diário: A misericórdia divina na minha alma. 40ª Edição. [tradução: Prof. Mariano Kawka]. – Curitiba, Editora Mãe da Misericórdia, 2012.


Ut In Omnibus Glorificetur Dei
(RB 57, 9)